11 de Janeiro, 2021

Findo um ano vivido num contexto e com desafios que dificilmente poderíamos ter imaginado, eis-nos chegados a 2021. Embora ainda vivamos uma situação traumática, em que enfrentamos enormes custos económicos e sociais, este Novo Ano marcará certamente o retomar da confiança, o início da recuperação económica e a progressiva normalização da vida social. A generalização da vacinação contribuirá decisivamente para a retoma e para o desenho de um mundo que será necessariamente diferente, mas que desejamos melhor e mais sustentável.

Neste 121º número da InforBanca, o primeiro deste ano, contamos com um alinhamento que integra diversos temas da maior atualidade. 

No final do seu terceiro e marcante mandato à frente da Associação Portuguesa de Bancos, Fernando Faria de Oliveiranuma entrevista com um profundo conteúdo, partilha as suas reflexões sobre o sector bancário e as transformações vertiginosas que este tem vivido, enunciando ainda as condições para que seja recuperada a atratividade para o investimento no sector Financeiro em Portugal. Desenvolve uma análise transversal e salienta os valores que suportaram, e continuam a suportar, a sua ação.

A estratégia do Eurosistema para os pagamentos de retalho é o tema abordado por Ulrich Bindseil e Monika Hempel da Direção Geral de Infraestruturas de Mercado e Pagamentos do Banco Central Europeu. Neste artigo são abordados os pagamentos imediatos, o desenvolvimento de uma solução de pagamentos pan-europeia, bem como a potencial emissão de um euro digital.

Pauline Guerin, responsável pela área de Mercados Financeiros da Federação Bancária Europeia, aborda a União dos Mercados de Capitais, um projeto essencial e ambicioso e apresenta os desafios para a implementar, bem como as exigências com que a presidência Portuguesa da UE se confrontará neste domínio.

João Tomaz aborda o tema central da sustentabilidade, apresentando os requisitos de divulgação de informações relacionadas com a sustentabilidade no sector dos serviços financeiros que em breve serão aplicáveis e exigidas.

A cibersegurança assume especial relevância no sector bancário, sendo este o tema abordado em dois dos artigos deste número. José Martins aborda os elementos essenciais de um sistema de gestão de segurança da informação e Carlos Alexandre elabora sobre a necessidade de intervenção nos sistemas de informação e sobre a relevância de capacitar a firewall humana.

O recente Aviso 3/2020 do Banco de Portugal e a sua relevância constitui o foco da análise de António Henriques, que destaca, em especial, o tema da conduta e da cultura organizacional.

Joana Rodrigues e Rita Machado, dão a conhecer iniciativas de Educação Financeira promovidas pela APB, que, em ambiente de pandemia, decorreram de forma digital. 

Na rúbrica “Sector Bancário num Minuto”, o Centro de Estudos e Publicações da APB, apresenta os principais indicadores de atividade do sector bancário, permitindo a habitual análise da sua evolução em Portugal.

Esperamos que a leitura deste número lhe seja útil e lhe permita aprofundar a visão sobre o futuro da Banca, sector fundamental e chave para suportar a recuperação que se avizinha.

Votos de um excelente 2021, com esperança, muita energia e resiliência! 

E mantenha sempre presente a frase de Albert Einstein “É na crise que nascem as invenções, os descobrimentos e as grandes estratégias. Quem supera a crise, supera-se a si mesmo, não é superado.”

António Neto da Silva

CEO do IFB